28 de maio de 2009

Filme - Uma noite no Museu 2

Estreado nos cinemas brasileiros no último 22 de maio, "Uma noite no Museu 2" é uma boa opção para família.

Reúna a turma e vá se divertir de maneira saudável vendo a este filme.

Neste segundo episódio da saga de Uma Noite no Museu, Larry enfrenta uma batalha tão épica que só poderia se desenrolar nos corredores do maior museu do mundo. Agora, Larry precisa tentar salvar seus amigos, antes inanimados, do que poderia ser sua última batalha entre as maravilhas do Smithsonian; e todas elas, das famosas pinturas nas paredes às espaçonaves, de repente ganham vontade própria.

Sinopse: A noite caiu no Instituto Smithsonian em Washington, EUA. Os guias já foram para casa, as luzes estão apagadas, as crianças estão enfiadas em suas camas... Ainda assim, algo incrível está em atividade enquanto o ex-vigia noturno Larry Daley (Ben Stiller) se descobre atraído por sua mais assombrosa e maior aventura até o momento, na qual a História verdadeiramente ganha vida.

No primeiro filme da História a ser filmado no complexo de museus Smithsonian, a diversão começa quando Larry já havia deixado para trás o mundo de baixos salários de vigia de museu para se tornar o inventor requisitado dos produtos de comerciais informativos da Daley Devices. Ele parece ter tudo - mas algo está faltando em sua vida, algo que o atrai de volta à sua velha busca, o Museu de História Natural, onde ele uma vez teve uma noite mágica para lembrar pela vida inteira. Lá, ele faz uma descoberta desconcertante. Seus objetos expostos preferidos, na verdade, alguns de seus amigos mais verdadeiros, foram considerados desatualizados. Encaixotados, eles aguardam a remessa para os amplos arquivos do Smithsonian.


Leia mais...

22 de maio de 2009

Filme - Amor e Inocência

video
Quem assistiu Orgulho e Preconceito, não pode deixar de ver Amor e Inocência.
Show de bola.
Bom Filme.
Bom fim de semana.

Resenha:

Jane Austen é uma das escritoras mais importantes da língua inglesa; seus romances, mostram uma visão crítica de uma sociedade que coloca na frente do amor inúmeros complicadores, que vão além das diferenças e dos problemas que normalmente influem no relacionamento homem-mulher, como; acertos financeiros, inúmeras convenções e diferenças sociais intransponíveis.

Mas "Amor e Inocência", embora pareça a primeira vista, mais uma da obras da escritora, é uma ficção baseada em sua biografia. Nascida em 1775, filha de um pastor anglicano, Jane vivia inserida na sociedade rural de Hampshire e começou a escrever, ainda na adolescência.



Entre bailes, jantares, jogos de cricket e longos passeios em belíssimos jardins, acompanhamos Jane, em uma excelente interpretação da atriz americana Anne Hathaway (O Diabo Veste Prada) e em uma destas inúmeras ocasiões sociais, ela conhece o irlandês Tom Lefroy (James McAvoy), por quem se sente atraída, ao mesmo tempo em que despreza sua postura esnobe.

As diferenças são logo superadas pelo casal, mas antes que tudo se transfomasse em um escândalo para ser comentado pelos próximos anos pela aristocracia rural de Hampshire, as coisas se complicam e Jane descobre que, se não pode se casar por amor, ao menos pode realizar seus sonhos através da imaginação transformando Tom Lefroy em um dos seus melhores personagens: Mr Fitzwilliam Darcy, de "Orgulho e Preconceito".

Outros personagens dos livros de Austen aparecem aqui e ali na narrativa, mas claramente, nenhum com o charme e a presença de Maggie Smith e sua Lady Greesham, uma recriação, muito provavelmente ficcional da poderosa Lady Catherine de Bourgh, também de "Orgulho e Preconceito".

Com diálogos inteligentes e acima da média, "Amor e Inocência" usa a mesma idéia que fez de "Shakespeare Apaixonado" (98) um sucesso: uma bem temperada mistura de ficção e realidade.

Dirigido por Julian Jarrod, impecavelmente ambientado em belíssimos cenários irlandeses, "Amor e Inocência" é um filme imperdível, até mesmo para aqueles que nem sabem quem é Jane Austen. Já, para os que a conhecem e apreciam sua obra, ele é indispensável.

Rezenha por Drika do http://pipocandoonline.blogspot.com

Filtros: Faixa etária classificada em 12 anos.
Contém uma cena branda de nudez não frontal.

Leia mais...

18 de maio de 2009

Você sabe o que é Bullying?

Matéria de adesão a blogagem coletiva em defesa da infância.

Insultos, apelidos pejorativos e brigas entre crianças e adolescentes podem ser exemplos desse tipo de violência

Insultos, apelidos pejorativos, brigas. Crianças e adolescentes têm sofrido e praticado, nas escolas, um tipo de violência que assusta pais e professores: o bullying.


O termo inglês (sem tradução para português) é usado para identificar agressões físicas e psicológicas que provocam nas vítimas um sentimento de humilhação. Entre as agressões verbais, são comuns os comentários negativos sobre a aparência, a família ou o lugar em que a vítima mora.

Mas nem toda forma de ‘ataque’ pode ser considerado bullying, alerta a psicopedagoga Núbia Torres, que desenvolve um programa de prevenção a esse tipo de violência em uma escola particular do Recife.

“Brigas cotidianas, apelidos e arengas são próprios da infância e não caracterizam bullying, necessariamente, porque são ‘brincadeiras’ feitas com qualquer pessoa. O bullying começa quando a agressão acontece com freqüência e é destinada a um alvo específico”, diz a especialista.

De acordo com a psicopedagoga, apesar de ser comum na escola e durante a juventude, esse tipo de violência pode acontecer também entre adultos e em outros ambientes. “Um autor de bullying durante a infância [agressor], se não for cuidado, pode se tornar um adulto que tem essa prática em outros espaços da sociedade, como a universidade e o trabalho”, afirma.

Para que a criança ou o adolescente não agrida outras pessoas, a psicopedagoga Núbia Torres ressalta a importância de um trabalho coletivo. “É necessário observar o autor da agressão e, se for o caso, encaminhar a um tratamento clínico. Mas o trabalho não deve ser só do profissional, mas em conjunto entre o terapeuta, a família e a escola”.

Esse cuidado se estende igualmente às vítimas de bullying. Elas podem desenvolver problemas psicológicos que, em casos extremos, são irreversíveis. Por isso, a família deve estar alerta.

“Os pais devem ficar atentos para observar mudanças comportamentais nos seus filhos. A vítima de bullying, geralmente, apresenta retraimento, tristeza e dificuldade em ir ao local em que sofre a agressão – que, normalmente, é a escola. Ao primeiro sinal provável de bullying, a família deve procurar a escola para que sejam tomadas providências. Não se deve esperar que a agressão aconteça novamente”, aponta Núbia Torres.

BULLYING

O que fazer para evitar esse tipo de violência

Pais e família

Mantenham um diálogo aberto e constante com os filhos. Assim, eles se sentirão à vontade para contar que foram agredidos.

Estejam atentos a possíveis mudanças comportamentais da criança / adolescente, como retraimento, tristeza ou agressividade.

Observem se seu filho tem resistência para ir à escola. Isso pode acontecer porque ele está sofrendo bullying nesse local.

Se suspeitarem que seus filhos sofrem bullying na escola, procurem a unidade de ensino, mas sem alarde, para não inibir a criança ou o adolescente.

Se for necessário, ofereçam à criança ou ao adolescente algum tipo de tratamento psicológico.

Vítima

Fale das agressões a algum adulto em que você confia (pais, avós, professores, vizinhos). Lembre-se que você não está sozinho.

Ignore quem xinga você. Quem fala mal gosta de ver que você fica nervoso e chateado com isso. Se você não se irrita, os agressores ficam entediados e param.

Ande acompanhado com um ou mais amigos nos locais em que os agressores normalmente estão. Procure também ficar próximo a algum adulto, como um professor ou algum funcionário da escola.

Envolva a maior quantidade possível de pessoas na discussão sobre agressões, desde amigos, colegas de classe até professores e o diretor da escola.

Não xingue nem agrida fisicamente o autor do bullying. Isso só piora a situação.

Testemunha

Não se junte aos autores de bullying para agredir outras pessoas física ou verbalmente.

Também não seja ‘plateia’ dos atos de bullying. Os agressores querem público para suas atitudes, para serem reconhecidos diante dos outros.

Convença a vítima a contar a agressão a um adulto. Se ofereça para estar junto com ela nesse momento. Se a vítima se recusar a falar, peça para você mesmo contar a um adulto no lugar dela.

Tire a pessoa que está sendo agredida moralmente de perto do agressor. Peça a ajuda de um adulto, se for necessário.

Se ofereça para fazer companhia às vítimas de agressões. Quando estão acompanhadas, é mais difícil que sejam agredidas.Ouça o que as vítimas têm para falar. Procure de aproximar também de pessoas que estão sempre sozinhas e alunos novatos.

Alguns casos de bullying que terminaram em tragédia:

Colorado (EUA), 1999 Os estudantes da Columbine High School, Eric Harris, 18 anos, e Dylan Klebold, 17, mataram 12 colegas e um professor e cometeram suicídio em seguida. A história motivou o documentário ‘Tiros em Columbine’, de Michael Moore, que ganhou o Oscar em 2003.

São Paulo, 2003 Edmar Aparecido Freitas, 18 anos, era motivo de zombaria dos colegas de classe desde os sete anos de idade. Em 2003, ele foi ao colégio em que estudou armado com um revólver, atingiu nove pessoas e depois se matou.

Virgínia (EUA), 2007 O estudante coreano Cho Seung-hui, 23 anos, invadiu a universidade de Virgínia Tech, nos Estados Unidos, matou 30 pessoas e se suicidou.

FONTE: pe360graus.com

Leia mais...

11 de maio de 2009

Blogagem Coletiva Em Defesa Da Infância

O Blog Diga Não À Erotização Infantil convida todos os blogs e sites amigos da criança a participarem da segunda blogagem coletiva “Em Defesa da Infância”, dias 18 e 25 de maio de 2009. Dia 18 de maio é o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Foi instituído pela Lei 9.970. A idéia surgiu em 1998 quando cerca de 80 entidades públicas e privadas, reuniram-se na Bahia para o 1º Encontro do Ecpat no Brasil. Organizado pelo CEDECA/BA, representante oficial da organização internacional que luta pelo fim da exploração sexual e comercial de crianças, pornografia e tráfico para fins sexuais, surgida na Tailândia, o evento reuniu entidades de todo o país. Foi nesse encontro que surgiu a idéia de criação de um Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual Infanto-Juvenil.

O Diversão Sadia estará aderindo a esta campanha. Convido a você amigo do diversão e a todos blogueiros a divulgarem esta campanha.

Saiba mais sobre a campanha aqui > DIGA NÃO.

Leia mais...

8 de maio de 2009

Filme - Um amor para recordar

O amor é paciente, é benfazejo; não é invejoso, não é presunçoso nem se incha de orgulho; não faz nada de vergonhoso, não é interesseiro, não se encoleriza, não leva em conta o mal sofrido; não se alegra com a injustiça, mas fica alegre com a verdade. Ele desculpa tudo, crê tudo, espera tudo, suporta tudo. O amor jamais acabará. As profecias desaparecerão, as línguas cessarão, a ciência desaparecerá. 1ª Cr 13, 4-8

A pérola acima escrita por Apóstolo Paulo, é o suficiente para expressar o que se vê neste filme. Aliás o texto é recitado pelas personagens principais do filme.
Com música explendida e uma história emocionante, "Um amor para recordar" fará você se emocionar e refletir sobre a questão do verdadeiro amor.

"Amar é uma decisão"
Não se ama esperando receber algo em troca. Se ama quando se doa ao outro.

Em plenos anos 90, Landon Carter (Shane West) é punido por ter feito uma brincadeira de mal gosto em sua escola. Como punição ele é encarregado de participar de uma peça teatral, que está sendo montada na escola. É quando ele conhece Jamie Sullivan (Mandy Moore), uma jovem estudante de uma escola pobre. Com o tempo Landon acaba se apaixonando por Jamie que, por razões pessoais, faz de tudo para escapar de seu assédio.

Filtros: Recomendado para faixa etária acima de 12 anos.
Não contém cenas impróprias ou constrangedoras.

Leia mais...

1 de maio de 2009

Filme - Conversando com Deus

video
Conversando com Deus é uma adaptação do livro homônimo escrito por Neale Donald Walsch, que conta sua própria história que inspirou e transformou a vida de milhões de pessoas.

Se você é daqueles que ainda tem alguma dúvida sobre o diálogo de Deus com seus filhos, não deixe de assistir a este magnífico filme.
Conversando com Deus é um filme que nos faz refletir sobre os planos que Deus tem para gente e que não se realizam por que nós não deixamos Deus trabalhar.

"Deus não demora. Deus capricha".

Bom fim de semana.
Bom filme.

Marcos

Sinopse:
Neale sofreu um grave acidente de carro no qual quebrou o pescoço. Sem emprego, mais tarde o vemos como um mendigo sem teto, pedindo comida e lutando para se manter vivo. Neale vai se sentindo cada vez pior e fracassado, o que faz crescer sua raiva e amargura. A existência ou não de Deus é sua maior questão. E ele encontra as respostas ao longo de muitas conversas... O livro de Neale foi lido por mais de 7 milhões de pessoas em 36 línguas ao redor do mundo.

Filtros: Livre para todos os públicos.


Leia mais...

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO